Entre polêmicas sobre a escolha do elenco e insatisfações pelas decisões criativas do diretor Adam Wingard, fãs de Death Note aguardam apreensivos o lançamento da adaptação produzida pela Netflix.

No entanto, Tsugumi Ohba e Takeshi Obata, criadores do mangá, estão satisfeitos com a versão ocidental de sua obra. Ao menos é isso que afirmou o produtor Masi Oka durante a San Diego Comic-Con 2017.

O momento mais incrível para mim foi ir ao Japão para mostrar o filme para os criadores, onde tivemos uma sessão fechada para os dois. E então depois eles vieram e disseram “Obrigado” e “Adoramos o filme”. Isso me deixou com lágrimas nos olhos porque sou um nerd e otaku, assim como todos. Eu cresci com isso, então ver os autores orgulhosos de nossos filmes me deixou orgulhoso e esperançoso de que, em troca, possamos deixar os fãs orgulhosos do filme também.

Nat Wolff, ator principal do filme, também garantiu que todos os envolvidos na produção são grandes fãs do material original e tentaram fazer justiça ao mangá.

Death Note contará a história de Light Turner (Nat Wolff) um estudante de Seattle que se depara com um caderno sobrenatural jogado na terra por Ryuk, que lhe dá a habilidade de matar qualquer pessoa, desde que saiba seu nome e seu rosto.

Light decide usar o poder do Death Note para livrar o mundo de malfeitores com a ajuda de sua namorada, a líder de torcida  Mia Sutton (Margaret Qualley),  porém se deixa dominar por um verdadeiro “complexo de deus” e é antagonizado pelo misterioso detetive “L” (Keith Stanfield), que acredita que Light é apenas um criminoso comum.

Death Note será disponibilizado na Netflix a partir do dia 25 de agosto.

Fonte

Siga Geekdama nas redes sociais!