No episódio final desta temporada, Tywin Laninster, a Mão do Rei e verdadeiro governante de Westeros, encontrou seu fim nas mãos de seu próprio filho.

George R. R. Martin fala um pouco sobre o que se passava pela mente de Tyrion Lannister naquele momento, levando em consideração as diferenças entre seus livros e a série.

O que se passava pela cabeça de Tyrion quando ele foi confrontar seu pai? Ele queria apenas conversar?
Não creio que ele estivesse raciocinando naquele momento. Ele está em seu pior momento. Ele perdeu tudo. Ele vai ser levado para algum lugar seguro, mas que raios ele vai fazer lá? Ele perdeu sua posição na Casa Lannister, perdeu seu lugar na corte, perdeu todo o seu dinheiro – que era uma das coisas que o deram suporte ao longo da vida.

Quaisquer que tenham sido suas desvantagens em ser um anão, ele não tinha as habilidades físicas para ser um cavaleiro, mas ele tinha uma grande vantagem em ter um nome conhecido e poderoso e todo dinheiro que quisesse para comprar coisas – incluindo seguidores, como Bronn e outras pessoas para defendê-lo.

Agora ele perdeu tudo aquilo, além de descobrir que Jaime – o único familiar que ele realmente amou e em quem podia confiar, estando sempre do seu lado – teve participação em um evento traumático em sua vida, uma traição final.

Ele está muito magoado e quer ferir outras pessoas, e ele percebe que aquelas escadas ali perto vão dar para aqueles aposentos que haviam sido seus, mas que agora seu pai havia usurpado dele. Ele sobe para ver seu pai. Não creio que ele soubesse o que iria dizer ou fazer quando chegasse lá, mas parte dele se sente impelida a fazer isso. E é claro, ver Shae lá é mais um choque para ele, é mais uma apunhalada.

Me lembro que uma das coisas que senti lendo o que acontece a seguir foi uma chateação porque sabemos que Tyrion foi acusado injustamente. E então ele vai e comete aqueles assassinatos. Há certa tristeza porque queremos que todos o conheçam como nós o conhecemos, mas ele está condenado para sempre depois de suas ações naquela noite.
Acho que quando uma pessoa é pressionada de mais, ela pode não suportar. Eu acho que Tyrion chegou nesse ponto. Ele passou pelo inferno, enfrentou a morte várias vezes e foi traído, do ponto de vista dele, por todas as pessoas com as quais ele se importou, as pessoas pelas quais ele estava tentando ser aceito.

Ele passou a vida tentando ganhar a aprovação de seu pai. E a despeito de todos os temores, ele se apaixonou por Shae e deu seu coração a ela. As coisas chegam em um nível que ele não consegue mais aguentar. Eu acho que as duas ações são bem diferentes, embora elas ocorram imediatamente uma após a outra.

Ele está furioso com Lord Tywin porque descobriu a verdade sobre sua primeira esposa e tudo o que aconteceu com ela e Tywin continua chamando-a de prostituta – o que ela é, pela lógica de Tywin.

Lord Tywin está convencido de que se ele não ama Tyrion, ninguém mais poderia amá-lo. Então obviamente uma garota pobre só pode estar querendo levar o anão para cama porque ele é um Lannister, então ela poderia se tornar uma dama, ter dinheiro, ir morar em um castelo e tudo mais.

Então basicamente isso é o equivalente a ser uma prostituta – ela está trepando com ele pelo status e Tywin está tentando ensinar uma lição a Tyrion com isso. Então ele continua usando a palavra “prostituta”, o que é como sal na ferida e Tyrion diz a ele para não fazer isso, não usar aquela palavra. E ele repete aquela palavra novamente e na hora Tyrion aperta o gatilho.

Uma coisa importante que ele assimilou ainda  na infância – pois é algo típico da filosofia do Lord Tywin – é que você não faz ameaças e depois não as cumpre. Se você ameaça alguém e então ela te desafia e você não cumpre o que disse, então quem vai acreditar nas suas ameaças? Suas ameaças devem ter peso. Incutiram isso em Tyrion sua vida toda. Então quando seu pai insiste naquela palavra, ele puxa o gatilho da besta, sem pensar muito e então está feito. E isso vai assombrá-lo. Tywin era seu pai e isso vai continuar a atormentá-lo, provavelmente para o resto da vida.

Com Shae é algo muito mais deliberado e mais cruel, de certa maneira. Não foi uma decisão do momento, porque ele está a estrangulando vagarosamente e ela está reagindo, tentando se libertar. Ele poderia tê-la soltado a qualquer momento. Mas sua raiva e seu sentimento de traição é tão forte que ele não para até que ela esteja morta e isso é provavelmente a coisa mais escusa que ele já fez. É o maior crime que ele cometeu juntamente com abandonar sua esposa depois daquela demonstração encenada por seu pai.

Agora, pelos padrões de Westeros, aquilo mal é um crime – “Então um lorde matou uma prostituta, grande coisa.” Ele dificilmente seria punido por isso, já que tantos lordes e cavaleiros tratam plebeias, prostitutas e moças de tavernas com desprezo e as usam para descartá-las depois. Para o mundo, isso não foi nada, mas também é algo que vai assombrá-lo, enquanto o ato de matar o próprio pai é algo de consequências imensas que vão marcá-lo para sempre, pois nenhum homem é tão amaldiçoado quanto um parricida.

Certo, e também tem a surpresa da hipocrisia de Tywin ao dormir com Shae. Tywin sabia que ela era uma prostituta [nos livros isso não é deixado claro]? Ou ele simplesmente não se importava?
Ah, creio que Tywin sabia disso. Ele provavelmente percebeu que ela era a mesma mulher que ele proibiu Tyrion de trazer para a corte, e então Tyrion o desafiou novamente e a levou mesmo assim. E não quero falar exatamente o que aconteceu ali, pois ainda não mostrei algumas coisas que serão reveladas nos próximos livros. Mas o papel de Varys em tudo isso também é algo a ser considerado.

Também vale a pena mencionar que Shae é uma personagem que foi bastante modificada na série. Eu acho que [os produtores] David Benioff e Dan Weiss escreveram Shae de modo bastante diferente, e com créditos para Sibel Kekilli – que fez um trabalho incrível interpretando a personagem.

A afeição de Shae por Tyrion é sincera. Isso é quase contraditório, mas na série da para perceber que os sentimentos de Shae por Tyrion são genuínos – ela o provoca, ela o desafia. A Shae dos livros é uma prostituta manipuladora que está cagando para o Tyrion e não se importa com ele mais do que com qualquer outro cliente, mas ela é bem dócil, uma garota sexy realizando todas as fantasias dele; ela realmente só está nessa pelo dinheiro e pelo status.

Ela é tudo que Lord Tywin achava que a primeira esposa de Tyrion era. Então há todas essas camadas complexas aqui. Elas são o mesmo personagem, mas também são totalmente diferentes e acho que isso vai repercutir de outra maneira na série do que nos livros.

Como autor, foi difícil matar dois de seus vilões principais, Joffrey e Tywin no terceiro livro?
Eu não sei exatamente como responder perguntas como essas. Para mim, o processo de escrever vem de uma parte não-racional do cérebro. Não sei se acredito nessa coisa de lado direito e lado esquerdo do cérebro, mas eu não me sento e fico pensando, “Sim, eu preciso de uma decisão aqui, eu preciso de algo ali.”

Eu coloco os personagens e a história em marcha e eles me levam pelo caminho. Admito que às vezes eles me levam à um beco sem saída e eu penso, “Isso não vai funcionar, me meti em uma enrascada aqui, tenho que voltar e consertar isso.” Mas às vezes eles me levam a coisas muito poderosas.

Fonte: Entertainment Weekly

Siga Geekdama nas redes sociais!