A expectativa de vida da população mundial tem aumentado e como consequência o espaço físico tem se reduzido. A super população gera aumento dos custos de moradia e devido a má distribuição de renda em várias partes do mundo, o resultado são as camadas mais pobres tendo que viver confinadas em espaços cada vez menores. Isso é ainda mais perceptível em grandes cidades como Hong Kong, na China, onde 7 milhões de pessoas vivem abarrotadas em apenas 1100 km².

Mas apenas números não são suficientes para evidenciar a situação por lá. Por isso, a Sociedade pela Organização Comunitária local fez as seguintes fotos chocantes, na tentativa de fazer com que o mundo entenda e se solidarize com os menos afortunados.

Estes lares são tão pequenos que cada milímetro é usado para empilhar, armazenar ou esconder alguma coisa. E apesar disso, essas pessoas sentem-se aliviadas por terem um teto para viver.

O que dizer de uma nação que permite que os mais pobres sejam forçados a viver em ambientes claustrofóbicos, como se fossem animais enjaulados? Este é o dia-a-dia de muitos habitantes da selva urbana de Hong Kong.

apartamentos-claustrofobicos-de-hong-kong-01

apartamentos-claustrofobicos-de-hong-kong-02

apartamentos-claustrofobicos-de-hong-kong-03

apartamentos-claustrofobicos-de-hong-kong-04

apartamentos-claustrofobicos-de-hong-kong-05

apartamentos-claustrofobicos-de-hong-kong-06

apartamentos-claustrofobicos-de-hong-kong-07

apartamentos-claustrofobicos-de-hong-kong-08

Via So Bad so Good

Siga Geekdama nas redes sociais!