Em um bate-papo com fãs no Reddit sobre o novo Bruxa de Blair, seu novo filme (que teve um fraco desempenho nas bilheterias americanas), Adam Wingard, diretor da adaptação de Death Note para Netflix, comparou sua versão do mangá de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata ao filme O Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan.

Ele também citou as adaptações hollywoodianas de Speed Racer e Dragon Ball, que amargaram fracassos de crítica e público.

Acho que animes devem receber o mesmo tratamento que os quadrinhos tiveram quando Nolan fez Batman. Creio que a chave é se afastar do estilo caricato de anime como Speed Racer e Dragon Ball e ao invés disso tentar basear a história de modos mais fáceis de se identificar. Tentei dar à Death Note um visual mais visceral. Dito isso, Death Note será meu filme mais insano até o momento. Fará “The Guest” parecer convencional.

Em entrevista ao site Inverse, Wingard disse que Death Note terá elementos de horror mesclados à outros gêneros.

Será um filme extremamente misto por causa das diferentes coisas que se pode fazer com Death Note, os diferentes tipos de morte e os diferentes tipos de personagens daquele mundo.

Baseado no mangá homônimo de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata, Death Note mostra a história de Light, um aluno de ensino médio que se depara com um caderno sobrenatural que lhe dá a habilidade de matar qualquer pessoa, desde que saiba seu nome e seu rosto.

Light decide usar esse poder para livrar o mundo de malfeitores, porém se deixa dominar por um verdadeiro “complexo de deus” e é antagonizado pelo misterioso detetive “L”, que acredita que Light é apenas um criminoso comum.

O filme irá estrear internacionalmente na Netflix em 2017.

Fontes: Movieweb, Inverse

Siga Geekdama nas redes sociais!