Kōhei Ōnishi, ex-editor de Eiichiro Oda, deu uma entrevista após sua visita à exposição de One Piece em Taiwan, onde deu algumas informações interessantes.

Ōnishi disse que já era fã de One Piece antes de começar a trabalhar para a editora Shueisha e explicou que o trabalho de um editor consiste basicamente em se colocar no lugar do leitor e entender o que lhe deixa entusiasmado ao ler o mangá.

Aparentemente, Oda é um mangaká bastante estoico. Apesar de One Piece ser indiscutivelmente o mangá mais popular do Japão no momento, isso não tornou Oda uma pessoa arrogante, pelo contrário. O sucesso o fez ainda mais sério na esperança de conseguir criar uma história cada vez mais interessante para que as pessoas possam usufruir. Ao trabalhar em um roteiro, ele geralmente fica o tempo todo sozinho em sua mesa, raramente parando para comer ou dormir para que possa pensar tranquilamente.

Quando Oda era mais jovem, ele ficava cerca de 4 ou 5 dias sem dormir. Agora ele frequentemente fica acordado por dois dias seguidos.

Ōnishi conta que passava inúmeras horas ao telefone quando estava trabalhando em algo com Oda, especialmente quando estavam delineando a construção narrativa do mangá ou trabalhando nos filmes de One Piece. Ele alega que frequentemente conversava com o mangaká por períodos de até 10 horas, davam uma pausa e depois voltavam a discutir o filme.

“Mesmo quando íamos ao banheiro não desligávamos o telefone, então dava para ouvir o som da descarga do vaso sanitário (risos).” Mesmo com a enorme quantidade de trabalho que ele tem, Oda não negligencia sua obra e continua dando o seu melhor, algo que Ōnishi admira bastante no mangaká.

Considerando isso tudo, não é surpresa que Ônishi acredite que personagem de One Piece com que Oda mais parece é o protagonista do mangá. De acordo com o editor, assim como Luffy, Oda tem um coração de menino, além de gostar muito de carne. Mas apesar das semelhanças com Luffy, Ōnishi afirma que Oda colocou um pouco de si em cada um de seus personagens.

Oda recebe cerca de dois malotes de cartas de fãs semanalmente e faz questão de lê-las pessoalmente. Ele não considera isso um trabalho, pois se diverte bastante com a leitura e acha uma boa maneira de distrair durante o trabalho. As cartas vêm de diversos países e as que não estão escritas em japonês são traduzidas com o auxílio de softwares de tradução.

A cena do mangá que mais impressionou Ōnishi foi a intervenção de Zoro quando Bartholomew Kuma estava prestes a atacar Luffy em Thriller Bark. Após entregar o manuscrito daquele capítulo, Oda não mencionou aquele acontecimento em particular, mas a cena deixou uma impressão muito forte em Ōnishi.

O editor então concluiu a entrevista falando sobre a exposição, cuja montagem foi supervisionada pessoalmente por Oda, uma vez que está é a primeira vez que um evento semelhante é aberto fora do Japão.

Ōnishi deixou o cargo no final de junho deste ano em uma reformulação de equipes da Shonen Jump, sendo substituído por Kawashima, que já havia sido editor de One Piece anteriormente. O editor de mídia Takeru Isaka também se retirou, sendo substituído pelo novato Sugita.

Em uma mensagem publicada na Shonen Jump, Oda agradeceu Ōnishi e Isaka pelo trabalho duro e deu boas vindas aos novos colegas.

Ōnishi durante a abertura da exposição.
Ōnishi durante a abertura da exposição.
Cartão de visita de Ōnishi.
Cartão de visita de Ōnishi.

Fonte: One Piece Podcast

Siga Geekdama nas redes sociais!