A companhia japonesa de entretenimento Shochiku, cujo quase 40% do lucro provém do teatro, tem experimentado quedas sucessivas de seus rendimentos em comparação aos seus competidores.

Para vender mais ingressos urgentemente, Shochiku apostou suas fichas no One Piece: Super Kabuki II, adaptação da obra de Eiichiro Oda, unindo o mangá mais vendido da história à uma expressão artística extremamente estilizada e tradicional.

Espera-se que a produção ajude a atrair novos espectadores ao que é considerada por muitos japoneses como uma forma de arte antiquada. Shochiku teria gastado cerca de três anos no desenvolvimento do espetáculo de modo a torná-lo satisfatório para uma gama eclética de espectadores.

Todo o diálogo é em japonês contemporâneo, ao invés da linguagem tradicional mais comumente associada ao kabuki, porém diversos recursos e técnicas tradicionais foram incorporadas na peça, tais como hunori (na qual o ator voa içado por cabos) e honmizu (efeitos especiais usando água no palco).

Até o momento, a estratégia tem sido bem sucedida. Com apresentações realizadas no Shimbashi Enbujo, em Tóquio, a peça estrelada pelo popular ator de kabuki Ichikawa Ennosuke tem conseguido atrair um misto de espectadores, reunindo tanto frequentadores habituais quanto fãs do mangá que estão vendo kabuki pela primeira vez.

Os ingressos para a estreia em outubro se esgotaram rapidamente. “O espetáculo está atraindo um grande público todos os dias. O programa foi bem recebido tanto por leitores de One Piece quanto por fãs de longa data de kabuki”, disse Tadashi Abiko, vice-presidente da Shochiku.

A peça irá para Osaka em março de 2016 e já se fala no planejamento de uma sequência.

Fonte: Nikkei

Siga Geekdama nas redes sociais!