Uma das personagens mais populares apresentadas no arco de Wano, Yamato é protagonista de uma incessante polêmica na comunidade de fãs de One Piece acerca de sua identidade de gênero.

Yamato foi mencionada diretamente pela primeira vez no mangá no capítulo 979 como “o filho de Kaido“.

Após algum suspense em torno de sua identidade, uma vez que Yamato inicialmente aparece usando uma máscara, seu visual é finalmente revelado no capítulo 984 e vemos que se trata de uma mulher, para a total confusão de Luffy.

Luffy: Hã? Você disse “filho”, não disse?!
Yamato: Bem, Kozuki Oden era um homem, não era? Então me tornei um homem!!

Absolutamente obcecada pelo pai de Momonosuke, Yamato se declara como o próprio “Oden” e chega a se referir ao diário que relata suas aventuras como “sua Bíblia”.

Racha entre fãs

Com isso, uma parcela dos leitores do mangá passou a defender que Yamato seria transgênero, o que é continuamente questionado por outros leitores, que acreditam que Yamato é simplesmente uma mulher que nutre uma imensa admiração por Oden que a faz se espelhar nele, o que não implicaria que Yamato seria trans dentro do contexto introduzido.

Pelo argumento, se Oden fosse uma mulher ou um tritão, por exemplo, Yamato se identificaria como tal.

O lançamento do segundo vídeo do Project 2: WE ARE ONE, projeto comemorativo dos 100 volumes de One Piece, deu início a um acalorado debate no fandom do mangá acerca dessa questão.

No vídeo, algumas das personagens femininas mais determinadas de One Piece inspiram uma nova leitora ser uma mulher independente e ir atrás de seus sonhos. Yamato está inclusa, ao lado de Hiyori, Boa Hancock, Nami, Robin, entre outras.

Além disso, o anúncio de Saori Hayami como dubladora da personagem também enraiveceu diversos fãs ativistas, os quais reclamaram da falta de representatividade, defendendo que Yamato deveria ser dublada por um trans, ou ao menos por um dublador do sexo masculino, para refletir o suposto gênero da personagem.

Nisto, as facções de leitores que acreditam que a personagem seja trans e os que discordam se envolveram em um debate acalorado nas redes sociais, que ajudou a manter Yamato nos trending topics do Twitter no dia 30 de agosto.

O que dizem as fontes oficiais sobre o gênero de Yamato?

Vejamos o que diz o mangá e as mídias oficiais da franquia.

Conforme mencionado anteriormente, quando Yamato é mencionada no capítulo 979 como “filho de Kaido” (no japonês バカ息子ヤマト/Baka musuko Yamato, “Yamato, filho idiota”, em tradução livre).

Os subordinados do Yonkou se referem à Yamato como “jovem mestre” (no japonês 坊ちゃん/bocchan), que é um modo respeitoso de se dirigir ao filho de uma pessoa importante (o equivalente feminino seria algo como ojou-san [お嬢さん]), o que condiz com a forma que Yamato se apresenta à Luffy.

Em relação ao uso dos pronomes ele/ela, devemos levar em consideração que eles não são comumente usados na língua japonesa e em nenhum momento são usados para se referir à Yamato.

Ao se apresentar a Luffy, Yamato se referiu a si mesma usando “boku” (僕), uma forma de “eu” no japonês geralmente usado por rapazes jovens, mas que também pode ser usado por mulheres de modo extremamente coloquial de maneira auto-afirmativa.

No entanto, a partir da revelação de seu rosto no capítulo 984, Yamato passa a ser referida indiretamente no mangá e em diversas mídias oficiais de modo geral como mulher.

Onde Yamato é referida como mulher

Até o momento há quatro fontes oficiais indicando Yamato como mulher.

1 – No box de apresentação no mangá: “Filha de Kaido [no japonês カイドウの娘/Kaido no musume]. Auto-proclamada: Kozuki Oden. Yamato.”

2 – Na sinopse oficial do volume 98 do mangá:

Enquanto a batalha decisiva em Onigashima começa a ficar séria, Yamato, a filha de Kaido, quer lutar ao lado de Luffy!? Por outro lado, Kaido revela todo o escopo do “Projeto Nova Onigashima” e aterroriza o mundo com a Big Mom!!

3 – Nas informações de personagens do volume 98:

Yamato (Auto-proclamada Kozuki Oden). Filha do Kaido.

4 – O já mencionado vídeo do WE ARE ONE, cujo anúncio no Twitter oficial de One Piece descreve Yamato como “personagem feminina” (女性キャラ).

O que diz Oda?

Vemos portanto que, enquanto Yamato e alguns outros personagens se referem diretamente à ela como alguém do sexo masculino, as mídias oficiais de One Piece, as quais são pessoalmente aprovadas pelo autor Eiichiro Oda, parecem considerá-la como alguém do sexo feminino.

Em relação às intenções de Oda sobre esta ambiguidade acerca de Yamato, o autor jamais fez qualquer declaração especifica sobre o assunto.

Nos SBSs, Oda já informou algumas curiosidades sobre Yamato, inclusive desenhando uma inusitada personificação de seus seios, porém sem mencionar nada a respeito do gênero ou identidade de gênero da personagem.

Considerando tanto o histórico de One Piece em abordar temas relacionados à inclusão e diversidade quanto a tendência de construir personagens com características e personalidades absurdas, os argumentos das duas divisões de fãs acerca de Yamato têm seus méritos.

Também não podemos deixar de levar em consideração que Oda pode ter originalmente concebido Yamato para ser um homem e ter mudado de ideia depois por algum motivo, usando a obsessão de Oden como uma desculpa para justificar as menções anteriores ao “filho do Kaido”.

Batendo o martelo em breve

Se o fato de Yamato se declarar como “filho de Kaido” é de fato um indício de transexualidade (como defendem alguns fãs) ou simplesmente um reflexo de sua intensa admiração por Oden (como defendem outros) provavelmente será oficialmente esclarecido em definitivo no próximo Vivre Card, cujo lançamento no Japão será em 3 de setembro.

Os Vivre Cards são uma coleção de cartões com informações de personagens, onde seu gênero deve ser especificado oficialmente. No caso de Kiku, por exemplo, consta que a Bainha Vermelha é do sexo masculino, porém se identifica como mulher.


O que você acha desta polêmica? Tem algum ponto que não foi abordado nesta matéria? Deixe sua opinião nos comentários!

Fontes One Piece Oficial Yes Japan Capa: @Amanomoon_ Reddit

Siga Geekdama - One Piece BRASIL nas redes sociais!